Blog / Planeje suas finanças pessoais

Planeje suas finanças pessoais

  • 09 fevereiro 2017
  • POR admin
  • EM Dicas SPL

Citando Benjamin Franklin: “se você falha em planejar, planeja em falhar”.

Essa frase infelizmente chama atenção e serve para maior parte de nós, brasileiros, que somos levados pela correria do dia-a-dia. Muito tempo se passa até que nos damos conta de que não trabalhamos muito, não investimos nosso tempo e recursos no que realmente queríamos e, muitas vezes, não sabemos nem onde foi parar esse recurso.

Ações de planejamento de disciplina simples podem serem implementadas no dia-a-dia de qualquer pessoa para serem transformadoras e ajudar no alcance real de objetivos.

 

1 – Planeje seu ano: aproveite o início do novo ano e anote o que deseja fazer durante ele, dividindo em categoria de investimento, compra de bens, viagens etc.

 

2 – Estime os valores do que deseja fazer no ano: avalie o quanto vai custar e monte em uma planilha de controle de finanças pessoais (disponibilizamos um modelo no arquivo), listando todas suas receitas mensais, seus custos fixos, gastos eventuais, comprometimento anteriores etc. Acrescente sua poupança atual e veja se os itens que você deseja fazer são possíveis com seu orçamento do ano, senão, priorize-os e fique com o que julgar mais importante, as demais deixe anotadas para o próximo ano.

 

3 – Acompanhe sua planilha de receitas e despesas mensalmente:

Reserve um dia no mês para organizar a sua vida financeira.

Inclua na planilha as receitas realizadas naquele mês e suas despesas, existem aplicativos como o Guia Bolso, que te ajudam a classificar seus gastos.

Veja se a sua previsão de poupança foi efetivada.

 

4- Analise sua vida financeira

Tão ou mais importante do que a disciplina de parar uma vez no mês para anotar todas suas receitas e despesas, é analisar para onde está indo seu dinheiro.

Por isso, gaste um tempo avaliando qual categoria está gastando mais. Muitas famílias gastam mais com supérfluos e pequenas despesas do que com educação e nem percebem. Veja se o percentual dos seus gastos com moradia, educação, saúde é realmente o necessário para você e sua família.

 

5- Avalie seus pequenos gastos

As pessoas tendem a fazer conta e gastar muito tempo quando vão realizar uma grande despesa, como a compra de um carro, imóvel, uma viagem etc, porém, se esquecem de avaliar seus pequenos gastos.

Aquele cafezinho na padaria todo dia, uma pipoca na porta do trabalho, um picolé depois do almoço, esses pequenos hábitos da nossa vida cotidiana que, se multiplicado por todos os dias que os fazemos, se tornam valores muito significativos. Portanto, toda vez que identificar um gasto cotidiano multiplique pela quantidade de dias que irá repetir esse comportamento ao longo do ano e veja se realmente vale.

 

6- Poupar é necessário

Independente do valor que você tem de renda mensal, o hábito de poupar faz uma grande diferença. Depois de iniciado, você observa que sempre tem um dinheiro a mais guardado que servirá para algo necessário ou para um luxo. Economizar sempre valerá a pena! Não importa as circunstâncias ou o valor mensal, defina uma quantidade por menor que seja e cumpra. Trate sua poupança como sagrada e pense muito bem antes de mexer nela.

 

7 – Estabeleça objetivos financeiros

Para ajudar na disciplina do hábito de poupar, estabeleça objetivos, que podem ser de curto ou longo prazo.

Por exemplo, quem deseja poupar 100 mil reais para dar entrada em um apartamento e só consegue juntar 2.000,00 por mês, pode colocar um objetivo para cada ano e, uma vez que todo mês irá aplicar o valor em uma aplicação financeira, terá os juros em seu favor. Então, pode estabelecer, por exemplo, uma meta de ter aplicado R$ 26.000,00 ao final do primeiro ano, e assim sucessivamente nos anos seguintes.

 

8– Aprenda a investir

A poupança que muitos imaginam é o bom e velho cofrinho, ou até mesmo “guardar dinheiro debaixo do colchão”. O brasil atualmente é o país com a maior taxa de juros real do mundo, isto é, remunera muito bem seu dinheiro investido mesmo descontando a inflação do país.

É importante conhecer produtos financeiros para otimizar seus ganhos, portanto, procure um profissional especializado para adequar o melhor produto para você levando em consideração o seu valor a investir, o prazo que precisará do dinheiro, o risco que podem correr etc.

 

9 – Aprenda a “tomar empréstimos”

Tão importante como escolher os melhores produtos financeiros para investir seu recurso e fazer render seu dinheiro é aprender os empréstimos que você não deve fazer.

Se por um lado temos “boas” taxas de juros para investimentos, por outro, as taxas de empréstimo do brasil podem ser consideradas absurdamente altas, muitas vezes impagáveis. As modalidades mais famosas e utilizadas entre os brasileiros são os cartões de crédito e o cheque especial.

Essas linhas podem consumir toda sua poupança se forem mal utilizadas.

Mas nem sempre empréstimos são ruins, existem linhas de financiamento bastante atrativas e bastante vantajosas como, por exemplo, linhas de financiamento imobiliário, principalmente em programas incentivados pelo governo com o minha casa, minha vida.

 

10- Recicle

Todas as dicas citadas acima só serão válidas se sempre relembradas e recicladas ao longo das diversas etapas da vida. Portanto, volte ao número 1, planeje, acompanhe o orçamento. A vida é cheia de surpresas e novas fases por isso, é importante a reciclagem das ideias e voltar a planejar e adequar as suas etapas de vida é fundamental para uma longa e tranquila vida financeira.

 

Ligamos pra você